A oportunidade vem para que está preparado e aceita assumir riscos.

Olá prezado leitor,

Esta semana eu gostaria de dividir com você uma história interessante que venho acompanhando de um amigo meu. Não darei “nome aos bois” pelo simples motivo que não fará nenhuma diferença no resultado da história, mas tenha a certeza de que essa é uma história real.

Nos conhecemos por acaso, a filha dele estudava na mesma escola que minha irmãzinha e meus pais que tiveram o primeiro com esse o casal. Ambos formados em engenharia civil, ele trabalha e na área de qualidade de uma empresa do setor de energia renovável e ela trabalha em uma grande construtora.

Na época, eu cursava engenharia ambiental buscava um estágio de férias na área. Foi então que surgiu a oportunidade de trabalhar com essa moça na construção de estações de tratamento de esgoto na cidade onde moram meus pais. Desde então pude me aproximar e conhecer um pouco mais da vida deles.

Durante esses três meses de férias aproveitei cada momento para aprender tudo que me era passado, tarefa nada fácil para um iniciante no mercado de trabalho, mas mesmo assim estava entusiasmado. Procurei dar o meu melhor no trabalho, espero ter conseguido, mas o que valeu mais mesmo foi a amizade que criamos. Apesar de sermos de idades bem diferentes, em momentos de vida diferente acho que consegui conquistar a confiança deles, e por isso hoje venho contar aqui esse caso.

Antes de continuar, gostaria de agradecer a esse casal pela confiança e pela consideração que tiveram por mim. É muito bom sentir que eles dão valor às palavras de alguém que nem tem tanta experiência assim, mas tem muita vontade de aprender.

Para facilitar, chamarei o personagem principal da história de JF, adianto que essas não são as letras do seu nome e sobrenome, é apenas algo ilustrativo. Vamos lá.

JF, como já disse, é formado em engenharia civil e logo depois de formado iniciou um pequeno negócio na sua área de formação, projetos para a construção civil. Por razões que eu desconheço, provavelmente por falta de experiência, o negócio não foi para frente e ele encaminhou sua vida profissional para a iniciativa privada.

Seu grande desejo sempre foi trabalhar com consultoria, e para isso, era necessário ganhar experiência e turbinar seu currículo. Como um bom empreendedor foi o que JF fez. Planejou e seguiu os passos traçados para que pudesse alcançar seu objetivo. Trabalhou em boas e grandes empresas, investiu em sua formação acadêmica, estudou inglês, deu aula em faculdades e MBA´s, buscou conhecimentos de diversas áreas (de gestão empresarial a tecnologia da informação, entre outros).

Toda essa trajetória o possibilitou trabalhar em diferentes áreas nas empresas às quais passou, agregando valor ao seu trabalho e principalmente, acumulando experiência. Além de trabalhar sua vida profissional, JF também foi construindo sua vida pessoal: casamento, moradia, transporte e filha.

O tempo passou e JF começou a colher os frutos de sua dedicação, até o momento em que a empresa que ele trabalhava começou a não corresponder à expectativas, trocando-o de departamento, demonstrando grande fragilidade no processo de gestão, atrapalhando muito o seu trabalho, como era de se esperar, já que as diretrizes que colocadas pela diretoria da empresa afeta diretamente a produção da fábrica.

Começa-se nesse momento uma certa insatisfação ou desmotivação. As coisas parecem não caminhar, fica-se de mãos atadas. E você, caro leitor, deve estar se perguntado como ficou aquela história de consultoria que eu comentei no começo da história. É exatamente esse o ponto o qual me motivou a escrever esse post.

É realmente incrível como o universo conspira a favor de pessoas que se dedicam, se preparam e não desistem. Há uma semana, estive na casa desse casal para buscar minha irmã e aproveitamos para colocar o papo em dia. Depois de contar um pouco da minha vida, começamos a conversar sobre a vida deles.

A mulher de JF, que trabalha até hoje na construtora na qual fiz estágio, resolveu largar a carreira para se dedicar exclusivamente a abertura do seu próprio negócio, no ramo têxtil. Este fato é extremamente relevante para a elaboração do orçamento do casal, já que por ser um a start up* demandará certo tempo para gerar retorno financeiro.

Acontece que junto com a insatisfação de JF na empresa na qual trabalha, o pai dele, que trabalha no ramo de consultoria e certificação de processos de qualidade e meio ambiente, resolveu se aposentar. Parece mentira não é mesmo?! Continuando, o pai de JF é extremamente respeitado e conhecido no nicho de mercado em que atua, entretanto não tem uma estrutura administrativa e temporal que permita com que haja expansão dos negócios.

Nesse momento é parece que o universo conspira. Você percebeu, caro leitor, que a “sorte” só se consolida quando há a junção de capacitação e oportunidade? JF sempre direcionou seus estudos e atividades para que pudesse atuar no ramo de consultoria e exatamente quando ele precisava ganhar um novo fôlego profissional a oportunidade se consolidou.

Mas nem tudo na vida de um empreendedor são flores, quero deixar isso claro. Até agora parece que a decisão de empreender é simples e pode de uma hora para a outra cair no seu colo. Mas não é bem assim, caro leitor. E é exatamente em momentos como esse que meu amigo está passando que diferencia um empreendedor de sucesso de um profissional que pertence à vala comum.

Meu objetivo aqui não é julgar nem muito menos dizer o que eu faria se estivesse no lugar dele, mas sim mostrar a você como uma história pode ter finais completamente diferentes se soubermos colocar pesos e medidas certas nas coisas.

Até agora as coisas parecem simples no sentido de seguir esse novo caminho empreendedor. Mas para tomar essa decisão, JF terá que colocar do outro lado da balança:

– A exclusão da renda fixa mensal que o casal tem hoje, já que ambos pretendem iniciar novos negócios.

– O risco de o tempo de amadurecimento do negócio para que possa dar lucro ser maior que o esperado, ou talvez que esse tempo seja tão longo que seja impossível seguir em frente.

– A responsabilidade, como pai de família, de manter o bem-estar, em todas as esferas, de sua família

– A continuação e/ou a evolução dos negócios para que pelo menos garanta sua a satisfação pessoal, assim como a satisfação de seu pai.

– Entre outros…

Pois é caro leitor, a resposta ou o caminho que se deve tomar em uma situação como essa não é tão simples de ser encontrado e muito menos tem uma padrão ser seguido, pois envolvem diversas circunstâncias ambientais e também habilidades e conhecimentos do empreendedor para que o negócio siga por um caminho de sucesso.

Essa é a típica situação que daqui cinco ou dez anos será vista como um passo empreendedor grandioso, devido aos riscos assumidos e ao sucesso do negócio, ou um caminho de loucura por ter abandonado algo teoricamente certo e contar com o duvidoso.

Com essa história, caro leitor, quis ilustrar para você como é o início do processo empreendedor, enfatizando o valor do planejamento e da perseverança. Mas é claro que depois da decisão tomada, seja ela qual for, o caminho será longo e tortuoso. E por isso dependerá das habilidades de cada um para fazer com que o caminho escolhido lhe conduza à satisfação pessoal e profissional.

Não é o objetivo aqui, como já disse, dar a minha opinião sobre o assunto, mas o que tenho a dizer, para finalizar, servirá para qualquer pessoa que um dia possa se encontrar em uma situação semelhante à desse meu amigo.

Em momentos como esse, é necessário:

– Ponderar todos os prós e contras do caminho a ser escolhido;

– Estudar as melhores maneiras de garantir o sucesso da empreitada;

– Buscar, cativar e motivar profissionais e amigos com boa capacitação técnica para colaborar ao longo de todo o processo, seja na concepção ou na execução do projeto;

– Preparar-se financeiramente para que se tenha paz concentração ao longo de todo o trabalho;

– Acreditar e se dedicar arduamente, incansavelmente ao projeto com foco no sucesso deste.

Espero, prezado leitor, que você tenha gostado dessa história e que reflita na importância de cada atitude que tenha que tomar na sua vida profissional visando sempre o sucesso. Não esqueça que estamos sempre assumindo riscos, mas que esses risco devem ser controlados e minimizados.

Aos protagonistas dessa história, obrigado por compartilhá-la comigo e por confiar em mim. Estarei aqui para o que der e vier… Sucesso!!!

 

 

Abraços empreendedores,

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: